Notícias

SINDAPEL PROMOVE CURSO PARA ADEQUAÇÃO DAS INDÚSTRIAS ÀS NRs

Dezoito empresas do setor arrozeiro de Pelotas e uma de São Lourenço do Sul iniciaram na terça-feira (14) um curso para revisão de diretrizes que devem ser aplicadas na prevenção de doenças e acidentes. As aulas são voltadas a engenheiros e técnicos de Segurança do Trabalho das indústrias e se estendem até março de 2018. Serão 15 encontros realizados todas as manhãs de terça-feira na sede do Senai na avenida Bento Gonçalves, junto ao Parque do Sesi.

A ação foi articulada a partir de demanda das próprias arrozeiras, que são alvo de força-tarefa do Ministério Público do Trabalho (MPT) iniciada em agosto. Uma empresa chegou a ser autuada e teve parte de sua unidade interditada por não atender Normas Regulamentadoras (NRs) voltadas à proteção dos funcionários.


Técnico em Segurança e especializado em Gestão Integrada, Leonardo de Andrade, 33, confirma as incertezas. Segundo ele, há casos em que equipes dentro das empresas acreditam estar de acordo com todas as determinações, mas são surpreendidas com exigências apresentadas pela força-tarefa. "Nosso intuito ao participar do curso é entender claramente tudo o que é necessário e fiscalizado, pois as normas já conhecemos", diz.

Fiscalização permanente
Iniciadas em 21 de agosto, as inspeções feitas por equipes do MPT, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), do Conselho Regional de Engenharia (Crea-RS), da 3ª e da 7ª Coordenadorias Regionais de Saúde, dos Sindicatos da Alimentação e da Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro) não têm prazo para terminar.

"As empresas têm adotado uma postura muito positiva diante das inspeções, se colocando à disposição para resolver e até prevenir os problemas. Nosso objetivo não é punir, mas sim que todas estejam de acordo com as normas", aponta a procuradora do MPT Rubia Canabarro, coordenadora do trabalho. De acordo com ela, as unidades visitadas são escolhidas com base na quantidade de empregados e no número de comunicações de acidentes do trabalho e afastamentos para tratamento de saúde.

Dentre os principais problemas encontrados na primeira etapa de inspeção estão o descumprimento da NR 12 em máquinas e equipamentos, além de problemas relacionados à ergonomia e a espaços confinados para os trabalhadores.

Estão previstas novas ações de fiscalização nos dias 4, 5 e 6 de dezembro em indústrias da região de Bagé.

FONTE: DIÁRIO POPULAR

« Voltar Ver outras »